POEMA – Bravo!

Cultura - Nosso nome do meio_banner

Bravo!

(Matheus Martins)

Bravo!
Reverências peço ao grande espetáculo
Que com tão alta frequência exibido
Mantém a qualidade em todas as sessões
E tem seu intuito devidamente cumprido

Bravo!
Aos regentes que para si governam,
Aos curandeiros que antes ouro esperam,
Aos tão fortemente cerceados por uma vil inquisição moral
Que os impede de dizer toda e qualquer asneira que venham a pensar

Bravo!
Louvados sejam os mestres desviados
Que no conhecimento escondem uma semente de opinião
E reverberam pela hierarquia do ensino
Uma mentalidade não questionada de opressão

Bravo!
Ao bobo que vê coroa em seu chapéu de guizos
Que crê servir a si e não vê as amarras
Que fortemente o prendem a um poder maior;
Vê natureza onde há convenção

Bravo, por fim, à grande peça
Que em teu poder de suspensão de descrença
Faz ser a muitos despercebido
Que faltam cortinas ao lado do palco
E que a tragédia transcende a ficção

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s